domingo, 27 de setembro de 2009

Inquilinismo e Protocooperação

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=Ycl4Cwi7wMA
video

Inquilinismo

O inquilinismo é uma relação ecológica intra-específica harmônica em que apenas uma das partes obtém benefício, sem prejuízo da outra. Geralmente essa associação ocorre como mecanismo de proteção, vivendo uma espécie (inquilina) sobre a superfície ou no interior da outra (hospedeira). Esse termo é normalmente empregado para associações de espécies vegetais, contudo também aplicável a organismos animais.

São exemplos de inquilinismo:

Em vegetais, especialmente entre as epífitas (plantas que vivem sobre outras plantas: as bromélias, as samambaias e as orquídeas), se desenvolvem sobre os galhos das árvores de grande porte. Este posicionamento favorável permite a considerável captação luminosa necessária ao processo de fotossíntese. A existência dessas plantas, encontradas em extratos arbóreos elevados, ocorre a partir de eventos naturais relacionados à dispersão das estruturas de reprodução ( sementes ou gêmulas), por meio do hábito nutricional de alguns animais ou através do vento. Nesta relação não ocorre parasitismo com fornecimento de seiva elaborada ou bruta. Contudo as espécies inquilinas absorvem os nutrientes (partículas suspensas no ar e dissolvidas na chuva), armazenados em adaptações foliares (receptáculos) ou também através de raízes absorventes.

Nos animais, uma interação bem evidente, é a situação de inquilinismo existente entre o peixe-agulha e os pepinos-do-mar (Equinodermos). Quando em perigo estes pequenos peixes procuram abrigo no aparelho digestório desses equinodermos. Ainda no meio aquático marinho, também é possível a observação de quimeras (peixes cartilaginosos), fixados no dorso dos tubarões e arraias.

Protocooperação

A protocooperação é uma relação ecológica interespecífica harmônica não obrigatória, na qual há vantagens recíprocas entre as espécies que se relacionam, ou seja, ocorre comum beneficiamento entre ambos os organismos, vivendo de forma independente.

São exemplos de protocooperação:

Um exemplo desta relação é a situação existente entre os caranguejos (paguro / ermitão) que ao se deslocarem, servem de meio de transporte para as anêmonas, fixadas no dorso das conchas desses crustáceos, aumentando a captação de alimentos. Por vez, estes cnidários, protegem o paguro contra o ataque de predadores devido a presença de substâncias urticantes, contidas em seus tentáculos.

Uma outra situação é a relação entre a ave-palito e crocodilos. As aves se alimentam retirando os restos de alimentos entre os dentes do crocodilo, enquanto dormem de boca aberta, livrando-os de parasitas indesejáveis.

video

Cursos Online 24 Horas
Cursos Online com Certificado -Cursos 24 Horas

Drogas Licitas e Ilicitas

DROGAS LICITAS E ILICITAS



Drogas Licitas
Quais são?

As drogas lícitas são substâncias que podem ser produzidas, comercializadas e consumidas sem algum problema. Apesar de trazerem prejuízos aos órgãos do corpo são liberadas por lei e aceitas pela sociedade. São consideradas drogas lícitas qualquer substância que contenha álcool, nicotina, cafeína, medicamentos sem prescrição médica, anorexígenos, anabolizantes e outros.
As drogas lícitas mais consumidas pela população em geral, são as seguintes (tipos de drogas lícitas):

- álcool,

- cigarro,

- benzodiazepínicos (remédios utilizados para reduzir a ansiedade ou induzir o sono);

- xaropes (remédios para controlar a tosse e que podem ter substâncias como a codeína, um derivado do opióide);

- descongestionantes nasais,

- os anorexígenos (moderadores de apetite) e

- anabolizantes (hormônios usados para aumentar a massa muscular).

Álcool – Apesar de o álcool possuir grande aceitação social e seu consumo ser estimulado pela sociedade, este é uma droga psicotrópica que atua no sistema nervoso central, podendo causar dependência e mudança no comportamento. Quando consumido em excesso, o álcool é visto como um problema de saúde, pois este excesso está inteiramente ligado a acidentes de trânsito, violência e alcoolismo (quadro de dependência).
Os efeitos do álcool são percebidos em dois períodos, um que estimula e outro que deprime. No primeiro período pode ocorrer euforia e desinibição. Já no segundo momento ocorre descontrole, falta de coordenação motora e sono. Os efeitos agudos do consumo do álcool são sentidos em órgãos como o fígado, coração, vasos e estômago.
Em caos de suspensão do consumo pode ocorrer também a síndrome da abstinência, caracterizada por confusão mental, visões, ansiedade, tremores e convulsões.


Cigarro – Uma das mais de 4500 substâncias que um único cigarro contém – a nicotina – interage com receptores neurais, que liberam substâncias como a dopamina, acetilcolina, serotonina e betaendorfina, conferindo uma sensação de prazer imediata.
Mais viciante que drogas como o álcool, cocaína, crack e morfina; a nicotina atinge o cérebro em até vinte segundos: tempo bem mais rápido que o principio ativo de qualquer outra destas drogas. Assim, a probabilidade de um individuo se tornar dependente da nicotina é muito alta, com crise de abstinência bastante incômoda, que geralmente se inicia minutos depois do último trago, sendo as grandes responsáveis pela dificuldade de um fumante em interromper o uso do cigarro.
Gás carbônico, monóxido de carbono, amônia, benzeno, tolueno, alcatrão, ácido fórmico, ácido acético, chumbo, cádmio, zinco, níquel dentre outras muitas substâncias são encontradas no cigarro. Estas são responsáveis pelo aumento dos riscos que estes indivíduos têm de desenvolver problemas de saúde como cânceres, doenças coronarianas, má circulação sanguínea, enfisema pulmonar, bronquite crônica, derrames cerebrais, úlceras, osteoporose, impotência, catarata. O cigarro é considerado um dos maiores problemas de saúde pública (e ambiental) que nossa sociedade enfrenta na atualidade.



Benzodiazepinas - Pertencente ao grupo de fármacos ansiolíticos, esta droga é usada no tratamento sintomático da ansiedade e insônia. A benzodiazepina vem em forma de comprimido e seu uso causa dependência psicológica e física, dependente da dosagem e duração do tratamento. A dependência física estabelece-se após 6 semanas de uso, mesmo que moderado. Os problemas de dependência e abstinência são comparáveis aos de outras substâncias que causam depêndencia, tendo-se transformado, nos países aonde há um uso mais generalizado, num problema de saúde pública, que só agora começa a ser reconhecido na sua verdadeira escala.



Onde encontramos as drogas lícitas?

Numa pesquisa realizada pela Organização Mundial de Saúde notou-se quão grande é o mercado das drogas permitidas, pois essas promovem maior necessidade ao usuário e maior custo, já que são encontradas em todos os bairros espalhados pelas cidades.

Qual a influência dela no nosso organismo e em nossas vidas?

Para ter conhecimento acerca das conseqüências promovidas pelas drogas lícitas pode-se iniciar relatando que, ao depositar qualquer substância no organismo cria-se nesse, necessidades falsas, alterando todo o funcionamento físico e psíquico. Podemos citar: ataque cardíaco, doenças respiratórias, enfisema, câncer, impotência sexual, alterações na memória, perda do autocontrole, gota, rompimento das veias, danos no fígado, rins e estômago, cirrose hepática, úlceras, gastrites, irritabilidade, dor de cabeça, insônia, ansiedade, agitação e outros. As drogas permitidas por lei são as mais consumidas e as que mais resultam em fatalidades diárias, já que através das alterações realizadas no organismo um indivíduo perde o controle e acaba por fazer coisas que no normal não seriam feitas. Além disso, o organismo tende a ficar mais preguiçoso já que as drogas lícitas relaxam o organismo de forma exagerada.

Drogas Ilicitas

Quais são?

As drogas ilícitas são substâncias proibidas de serem produzidas, comercializadas e consumidas. Em alguns países, determinadas drogas são permitidas sendo que seu uso é considerado normal e integrante da cultura.
São drogas ilícitas: maconha, cocaína, crack, ecstasy, LSD, inalantes, heroína, barbitúricos, morfina, skank, chá de cogumelo, anfetaminas, clorofórmio, ópio e outras.

Cocaína - A cocaína é uma droga é uma droga psicoativa que estimula e vicia, promovendo alterações cerebrais bastante significativas. A mesma é extraída da folha seca da coca, e se consumida por muito tempo, ocasiona danos cerebrais e diversos problemas de saúde.
Devido aos efeitos de euforia e prazer que a cocaína proporciona, as pessoas são seduzidas a utilizá-la para vivenciar sensações de poder, entretanto tais efeitos têm pouca duração. Logo o individuo entra em contato com a realidade, aspecto que desperta uma grande ansiedade em poder utilizá-la novamente.
Aceleração ou diminuição do ritmo cardíaco, dilatação da pupila, elevação ou diminuição da pressão sanguínea, calafrios, náuseas, vômitos, perda de peso e apetite são alguns dos efeitos biológicos da cocaína.


Ecstasy - O MDMA é uma droga sintética e psicoativa com propriedades estimulantes e alucinógenas. Popularmente é também conhecida como ecstasy e droga do amor. Primariamente usada em boates e raves, está sendo cada vez mais usada em vários outros círculos sociais.
O MDMA é usualmente ingerido na forma de pílula, mas alguns usuários fazem uso por inalação, injeção, ou supositório.
O ecstasy é neurotóxico. Além disso, em altas doses pode causar aumento agudo da temperatura corporal (hipertermia maligna), o que pode levar a lesão muscular e insuficiência dos rins e sistema cardiovascular. Foi demonstrado que o MDMA causa lesão cerebral, afetando os neurônios.
Entre os distúrbios psicológicos podemos citar a confusão, depressão, distúrbios do sono, ansiedade grave e paranóia. E os problemas físicos podem incluir a tensão muscular, náuseas, visão borrada, desmaio, calafrio ou sudorese. O uso dessa droga também tem sido associada com um aumento na freqüência cardíaca e pressão arterial, o que é especialmente perigoso para pessoas com doença circulatória ou cardíaca.


Heroína - Heroína é uma droga que leva a dependência facilmente. É uma droga processada da morfina e apresenta-se usualmente como um pó branco ou marrom.
O abuso da heroína está associado com graves problemas físicos, incluindo overdose fatal, aborto espontâneo, colapso venoso e doenças infecciosas, incluindo HIV/AIDS e hepatite. Complicações pulmonares, incluindo vários tipos de pneumonia, podem resultar da condição de saúde precária do usuário, assim como do efeito depressor da heroína na respiração.
Além dos próprios efeitos da heroína, a droga pode conter aditivos que não se dissolvem bem e resulta em obstrução dos vasos sanguíneos dos pulmões, fígado, rins ou cérebro. Isso causa infecção ou mesmo a morte de parte desses órgãos vitais.


Inalantes - Os inalantes são substâncias químicas voláteis que produzem efeitos psicoativos. Uma variedade de produtos usados no ambiente doméstico e no trabalho contém substâncias que podem ser inaladas. Muitas pessoas não vêem produtos como tintas spray, colas, e fluidos de limpeza como drogas porque nunca tiveram a intenção de usá-los para obter um efeito intoxicante, entretanto crianças e adolescentes tem acesso fácil a esses produtos e estão entre o grupo de maior risco de abuso dessas substâncias extremamente tóxicas.
Dentre as substâncias inalantes encontram-se os solventes (thinner, removedores, fluidos de limpeza, gasolina, cola) e gases (butano, propano, aerossóis, gases anestésicos, etc).
Quase todos os inalantes produzem efeitos similares aos anestésicos, que agem diminuindo as funções do organismo. A intoxicação usualmente dura apenas alguns minutos. Entretanto, alguns usuários apresentam o seu efeito por muitas horas pela inalação repetida. Inicialmente, os usuários podem sentir um efeito estimulador e inalações sucessivas podem os tornar menos inibidos e com menos controle. Se usado continuadamente, pode provocar a perda de consciência.
Estes produtos podem induzir diretamente a parada cardíaca e morte dentro de poucos minutos de uma única sessão de uso prolongado. Altas concentrações de inalantes podem também causar morte por sufocação por deslocar o oxigênio dos pulmões. Deve-se estar atento mesmo para o uso de aerossóis e produtos voláteis para seus fins legítimos (como pintura, limpeza, etc), que deve ser feito em ambientes bem ventilados, para evitar seus efeitos prejudiciais.
O abuso crônico de solventes pode causar danos graves ao cérebro, fígado e rins.

Maconha - O principal composto químico ativo da maconha é o THC (delta-9-tetrahidrocanabiol) e é o responsável pelos efeitos da maconha no sistema nervoso. Quando o indivíduo fuma a maconha, o THC rapidamente passa dos pulmões para o sangue, que o carrega para todo o organismo, incluindo o cérebro.
Ao contrário do que alguns pensam, a maconha pode trazer grandes problemas para a vida e saúde do indivíduo. Os efeitos a curto prazo do uso da maconha incluem problemas com memória e aprendizado; percepção distorcida; dificuldade em pensar e resolver problemas; perda da coordenação; e aumento da freqüência cardíaca. Pesquisas têm demonstrado que o uso da maconha a longo prazo causa algumas mudanças no cérebro semelhantes aos vistos no abuso de outras drogas consideradas mais "pesadas".
Alguns efeitos adversos na saúde causados pela maconha podem ocorrer devido o THC prejudicar a habilidade do sistema imune de lutar contra infecções e câncer. Depressão, ansiedade, e distúrbios da personalidade também estão associados com o uso da maconha. Devido ao efeito prejudicial na habilidade de aprendizado e memória, quanto mais a pessoa abusa da maconha, mais propensa ela será de ter um declínio de suas atividades intelectuais, de trabalho e sociais.
O abuso prolongado da maconha pode levar a dependência em algumas pessoas, fazendo com que a pessoa use compulsivamente a droga mesmo com seus efeitos danosos na família, trabalho, escola, e atividades recreacionais.


Onde encontramos as drogas ilícitas?

Por serem proibidas, as drogas ilícitas entram no país de forma ilegal através do tráfico que promove a comercialização negra, ou seja, a comercialização feita sem a autorização das autoridades.

Qual a influência dela no nosso organismo e em nossas vidas?

Tais substâncias podem ser estimulantes, depressivas ou perturbadoras do sistema nervoso central, o que perceptivelmente altera em grande escala o organismo.
Dentre as conseqüências que as drogas ilícitas trazem pode-se dar ênfase à violência gerada por elas em todas as fases de produção até o consumidor final. As demais conseqüências são: arritmia cardíaca, trombose, AVC, necrose cerebral, insuficiência renal e cardíaca, depressão, disforia, alterações nas funções motoras, perda de memória, disfunções no sistema reprodutor e respiratório, câncer, espinhas, convulsões, desidratação, náuseas e exaustão.

É importante esclarecer que a dependência das drogas é tratável, ou seja, através do auxílio médico e familiar uma pessoa pode deixar o vício e voltar a ter uma vida normal sem que necessite depositar substâncias que criam falsas necessidades no organismo e impedindo que o rendimento do organismo seja comprometido.

Você é consumista?

Faça o teste e descubra

Escolha com que frequência as situações abaixo acontecem com você. Ao final, veja os valores atribuidos a cada resposta, some e veja seu perfil de consumo, pelo número total de pontos.

1.Ao sair para fazer compras, você retorna com presentes adicionais para outras pessoas?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

2.Você costuma fazer compras para se sentir melhor quando está deprimido, com raiva ou com medo?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

3.Você diria que comprar está entre suas diversões?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

4.Você compra coisas que nunca usa?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

5.Você pensa excessivamente em quanto gastou nas suas compras?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

6.Você se sente culpado após uma sessão de compras?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

7.Ao sair para suas compras, você faz ( e cumpre) uma lista do que vai comprar?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

8.Ir ao shopping é uma alternativa de lazer para você?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

9.Você esconde das outras pessoas o que comprou ou quanto custou?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

10.Você se percebe buscando desculpas para dar aos aoutros sobre suas compras?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

11.Você sente, ao mesmo tempo, euforia e ansiedade quando faz compras?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

12.As pessoas costumam chamar você de "pão -duro"?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

13.Você sente desconforto quando alguém com quem você está compra mais do que você?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

14.Fazer compras para você é algo como um ato proibido e desejado?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

15.Você compra alguns itens no cartão que não compraria em dinheiro?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

16.Quando sai sem seu cartão de crédito, você se sente perdido?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

17.Seus hábitos de compra tem colocado você em apuros?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

18.Fazer compras para você é algo como uma aventura?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

19.Você gasta muito tempo fazendo contas e equilibrando seus gastos?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

20.Quando pensa em tirar férias e viajar, você procura um lugar onde haja boas lojas e boas compras?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

21.Você atinge o limite de seu cartão de crédito ou utiliza boa parte de seu cheque especial?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

22.Você recebe mala direta de diversos tipos de lojas, produtos ou liquidações?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

23.Os vendedores costumam conhecer você pelo nome?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

24.Você costuma esquecer que comprou um produto e comprá-lo de novo?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca

25.Você fica entendiado fazendo compras?

a)sempre b)Frequentemente c)Raramente d)Nunca



Resultado

Some o valor de pontos indicado entre parênteses ( ) para cada pergunta e descubra seu perfil.


  • Para todas as perguntas - exceto 7,12 e 25

(4)Sempre (3)Frequentemente (2)Raramente (1)Nunca

  • Para perguntas 7,12 e 25

(4)Sempre (3)Frequentemente (2)Raramente (1)Nunca


25 a 35 - Ou você é pão-duro, ou muito controlado.

Muitas vezes, deixa de comprar mesmo aquilo que está precisando porque não se sente bem gastando dinheiro em qualquer situação. O radicalismo nunca é saudavel. Analise se está valendo a pena passar certas privações para economizar mais dinheiro no fim do mês.

36 a 50 - Você matém o consumo sob controle.

Um consumidor como você encontra-se no ponto de equilibrio: gasta com aquilo que precisa e, na maioria das vezes, consegue perceber com antecedencia quando uma compra vai ser feita por puro impulso.

51 a 61 - Olho Vivo: Você já demonstra sinais de consumismo.

Provavelmente, você já se assustou ao ver no ármário uma roupa que nem se lembrava de ter comprado. O impulso passa quase despercebido, mas os seus efeitos podem começar a lhe trazer problemas financeiros. Está na hora de começar a pensar duas vezes antes de cada compra.

62 a 73 - Cuidado: Você é claramente um consumidor compulsivo.

Pare e pense: Quantas vezes este ano você já entrou em um shopping e saiu com duas vezes mais compras do que tinha planejado? Refletir melhor antes de entrar na loja pode não ser o suficiente. Procure estabelecer um teto de gastos mensais e não o ultrapasse nem sob tortura.

74 a 84 - Você pode representar uma ameaça para suas finanças.

O seu consumismo está próximo de trazer (ou já trouxe) um saldo vermelho para sua conta bacária. Cheque especial e cartão de crédito são instrumentos usados sem controle no seu dia a dia. Se for preciso, elimine-os de vista e saia para as compras só com o dinheiro necessário para os gastos planejados.

85 a 100 - Procure um psicólogo para conversar sobre o problema.

O descontrole nas compras não é só efeito do bombardeio publicitário em nosso cotidiano. Você pode estar tentando suprir carências afetivas, ou resolver outros problemas psicológicos por meio das compras e isso provavelmente não está funcionando.

Fome

Fome e pobreza

Vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=fwhMfYwaWf8

video

http://www.youtube.com/watch?v=3ChmdARHdaA

video

Fome

Conceito:

A fome não é um fenomeno recente.

Pobreza, subnutrição e fome, crônica ou aguda, são condições preexistentes, e as recentes elevações de preços dos alimentos apenas agravaram essa situação.

"todo homem, mulher e criança , tem o direito inalienável de ser livre da fome e da desnutrição...""acesso sempre, por parte de todos, a alimento suficiente para uma vida sadia e ativa."

Visando assegurar esse direito foi criado o conceito de segurança alimentar.

A meta da ONU de ter alimentos para todos e de forma continua ainda não foi alcançada, apesar do crescimento da tecnologia aplicada à produção de alimentos, comprometendo a saúde de grandes contigentes de população.

O mundo não tem espaço suficiente para alimentas tanta gente: ainda há no planeta espaço e recursos suficientes para alimentar a humanidade inteira.

Há gente demais para alimentar: a fome não resulta da insuficiência de alimentos provocada pelo excesso de pessoas e não pode ser vista como um fenomeno global.

A fome se distribui pelo mundo de forma bastante irregular, tanto sob o ponto de vista absoluto quando relativo.

O que é fome?

A fome é definida como a má nutrição e também à falta de comida para populações atingidas por guerras ou catástrofes naturais.

Portanto, sob ponto de vista coletivo, a fome é a escassez de alimentos para um grande número de pessoas, concentradas em um determinado espaço geográfico. Observada sob o ponto de vista de um individuo, a fome ocorre quando a pessoa fica, durante um período prolongado, carente de alimentos, essenciais para lhe fornecer calorias (energia) e/ou nutriente.

O continente mais atingido pela fome é a África, sendo essa a maior causa direta e indireta da sua elevada mortalidade infantil.

Fome no mundo,segundo a ONU (Organização das Nações Unidas)

  • Havia no mundo, em 2007, cerca de 850 milhões de pessoas subnutridas; destas mais de 820 milhões em países subdesenvolvidos.
  • Cerca de 15 milhões de pessoas morrem por ano devido à fome; a maior parte delas são crianças.
  • Há mais de 150 milhões de crianças com menos de 5 anos desnutridas no mundo.

Os especialistas em nutrição apresentam dois tipos de fome:

  • Fome aguda - caracteriza-se pelo consumo de baixa quantidade de calorias, ou seja, a quantidade de alimentos ingeridos diariamente é insuficiente para repor as calorias gastas pelo organismo humano.
  • Fome crônica - é determinada pela deficiência de elementos nutritivos, tais como proteínas, vitaminas e sais mineirais, essenciais para restaurar células e tecidos dos órgãos humanos e manter seus processos e funções. A falta prolongada dessas substâncias provoca distúrbios e lesões, muitas vezes irreversíveis.

Causas da Fome

Causas naturais:

Clima;
Seca;
Inundações;
Terremotos;
As pragas de insetos e as enfermidades das plantas.

Causas humanas:


Instabilidade política;
Ineficácia e má administração dos recursos naturais;
A guerra;
Os conflitos civis;
O difícil acesso aos meios de produção pelos trabalhadores rurais, pelos sem-terras ou pela população em geral;
As invasões;
Deficiente planificação agrícola;
A injusta e antidemocrática estrutura fundiária, marcada pela concentração da propriedade das terras nas mãos de poucos;
O contraste na concentração da renda e da terra num mundo subdesenvolvido;
A destruição deliberada das colheitas;
A influência das transnacionais de alimentos na produção agrícola e nos hábitos alimentares das populações de Terceiro Mundo;
A utilização da "diplomacia dos alimentos" como arma nas relações entre os países;
A relação entre a dívida externa do Terceiro Mundo e a deteriorização cada vez mais elevada do seu nível alimentar;
A relação entre cultura e alimentação.

Consequencias da Fome:

Dentre as consequencias mais comuns da fome, em especial nos países subdesenvolvidos, estão: a desnutrição calórico-protéica, doenças causadas pela deficiência de vitamina A, disturbios causados pela carência de vitaminas do grupo B, raquitismo gerado pela deficiência de vitamina D, anemia provocada pela deficiência de ferro e bócio. A fome provoca perda de peso e problemas no desenvolvimento nas crianças, além de contribuir para a elevação da taxa de mortalidade, em especial a infantil.

A produção mundial de alimentos:

Na atualidade há mais de 350 mil espécies vegetais conhecidas. Dessas imensa variedade, pouco mais de 300 são cultivadas em escala comercial e destas apenas sete são responsáveis por mais da metade dos alimentos consumidos no mundo.

O cultivo dessas plantas foi impulsionado pelo crescimento da população, especialmente após 1850, o que aumentou muito a necessidade de alimentos e matérias-primas agrícolas.